Tanto Mar @ RTP

Reportagem sobre o Festival Tanto Mar na RTP.

https://www.rtp.pt/play/p3041/e320426/hora-dos-portugueses-diario

Publicado em Festival

Tanto Mar @ Deutsche Welle

Reportagem de Richard Fürst

http://www.dw.com/pt-002/m%C3%BAsica-dos-pa%C3%ADses-lus%C3%B3fonos-%C3%A9-amplo-mercado-a-explorar/a-41496418

Publicado em Uncategorized

DJ Van der

DJ Van der House

No Festival Tanto Mar o DJ Van der, de São Tomé e Príncipe, apresenta uma combinação de House e música Tecno com sons africanos e transporta-nos numa viagem através de um estilo emergente.

Publicado em Festival Marcados com:

Ana Maria Pinto e Rui Namora

Neste concerto Ana Maria Pinto interpretará uma série de temas do imaginário português, de José Afonso ao Fado, assim como alguns temas do seu último trabalho discográfico “Seven songs for a New Earth”. Ana Maria Pinto acompanhará os seu temas ao piano e terá também a presença em palco do guitarrista Rui Namora.

Ana Maria Pinto

Ana Maria Pinto

Ana Maria Pinto, finalizou o seu mestrado em ópera pela Universidade das Artes de Berlim, onde viveu 7 anos. Foi bolseira da Fundação Walter-Kaminsky (Munique) e da Fundação Calouste Gulbenkian. Apresenta-se nos principais palcos do país e no estrangeiro.

Em ópera destacam-se os papéis de Susanna (“Le nozze di Figaro”), Elle (“La voix humaine”), Blanche de La Force (“Dialogues des Carmélites”), Musetta (“La Bohème”) e Kumudha (“A flowering tree de John Adams”); e as obras de “A Criação” de J. Haydn, “Exultate Jubilate” de Mozart, “Ein deutsches Requiem” de J. Brahms, “Shéhérazade” de M. Ravel, 4º Sinfonia de Mahler, “Jeanne d’Arc au Bûcher” de Honnegger, “Chanson de la mer et de l’amour” de Chausson, “Carmina Burana” de Carl Orff, “9º Sinfonia” e “Missa Solemnis” de Beethoven.

Trabalhou, entre outros, com os maestros Marc Tardue, Cesário Costa, Ferreira Lobo, Errico Fresis, Lutz Köhler, Lawrence Foster, Joana Carneiro, Michel Corboz, Bertrand de Billy e Simone Young. Em Agosto de 2009, gravou canções de Fernando Lopes Graça e Viana da Mota com o pianista Nuno Vieira de Almeida. Em Maio deste ano estreou a sua peça “A balada do marinheiro-de- estrada, melodrama para soprano ao piano e djambé”, em Winhoek (Namíbia) em que a própria canta e recita o texto acompanhando-se ao piano e ao djambé. Estreou os seus dois ciclos de canções dedicados a Jorge de Sena, “Coroa da Terra” e “As Evidências” em Outubro de 2014. Interpretou o papel de Cecilia no fime “Casanova Variations”, (estreia em Novembro de 2014), onde contracenou com John Mallkovich e cantou com Jonas Kaufmann.

É a co-criadora do projecto “Classic meets Africa” (primeiro concerto a decorrer em Dezembro de 2015) e do Método Azul, uma educação musical que visa a fomentação da criatividade e da consciência ambiental.

Facebook: https://www.facebook.com/ana.m.pinto.376

Rui NamoraRui Namora

Natural de Lisboa (1975) iniciou os seus estudos musicais com Duarte Costa. Mais tarde ingressou no Conservatório de Música de Coimbra onde estudou com os professores Graciano Pinto e António Andrade.

Depois de se licenciar em Ciências Farmacêuticas na Universidade de Coimbra, é admitido na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto, na classe do Prof. José Pina, onde se diplomou em Instrumento e posteriormente em Ensino da Música. Participou em masterclasses com José Pina, Alberto Ponce, Margarita Escarpa, Joaquín Clerch, Alex Garrobé, Gunnar Spjuth e Julius Kurauskas.

Apresenta-se regularmente em público, a solo e integrando grupos de música de câmara. Nos últimos anos tem-se dedicado maioritariamenre ao repertório clássico-romântico, no âmbito da sua dissertação de mestrado sobre a obra do compositor austríaco oitocentista Leonard Schulz. Paralelamente à àrea da música erudita mantém uma ligação à música de raiz tradicional portuguesa.

Web: https://ruinamora.com/

Publicado em Festival, Música Marcados com:

Teatro Lusotaque em “Dilema do Comboio”

Em “Dilema do Comboio” o Teatro Lusotaque adapta o clássico de Friedrich Dürrenmatts “A visita da dama idosa”. Esta tragicomédia de crítica social é levada à cena no contexto lusófono pelo grupo de teatro da Universidade de Colónia que já leva 11 anos de existência. Os diálogos inteligentes, a coreografia animada e música ao vivo, contarão a estória de uma cidade decadente, que terá de enfrentar um dilema moral para atingir a prosperidade.

Todos os anos, o grupo de teatro Lusotaque acolhe no seu seio novos membros interessados pela língua portuguesa e pelo teatro. Se tiver interesse, contacte-nos por email em lusotaque@hotmail.com ou visite nossa página do facebook em https://www.facebook.com/teatro.lusotaque

Publicado em Festival, Língua, Teatro Marcados com:

Coral Vozes do Brasil

O Coral Vozes do Brasil foi fundado em 2003 no Instituto Luso-Brasileiro da Universidade de Colônia como coral de estudantes, por iniciativa da Dra. Marta Campos Hein, naquela época docente do Instituto. O seu objetivo é difundir a música brasileira, sendo assim uma ponte entre as culturas.
No momento o coral possui 30 integrantes e está aberto a novos cantores, que queiram conhecer a diversidade da música brasileira em seus diversos estilos e ritmos.
O regente do coral é Jean Kleeb, conhecido como compositor, pianista e autor de vários livros para coral e piano. Além do Coral Vozes do Brasil Jean Kleeb rege outros corais clássicos e pop em Marburg e em Giessen, e toca clavicórdio no seu Trio Viola da Samba (uma ponte entre a música brasileira e renascentista ibérica). As suas últimas obras suas são “Luther – Ein Weltmusik Oratorium” para coro e orquestra e a “Missa Brasileira” para soprano, cello, coro mixto, percussão e banda publicados em CD e partitura no ano 2017 pelo Helbling Verlag (Innsbruck).
www.jeankleeb.de
www.vozesdobrasil.de
https://www.facebook.com/vozesdobrasil15/

Publicado em Uncategorized Marcados com:

Poetry Slam

O festival Tanto Mar apresenta no seu programa do dia 19 de Novembro de 2017  um concurso em formato Poetry Slam. Convidam-se todos os interessados à inscrição e apresentação de poemas em língua portuguesa ou em língua alemã que tenham em pano de fundo espaços da língua portuguesa.

1 – O poema deverá ser um original do participante ou uma interpretação de um poema de um outro autor e terá de ser interpretado no espaço do festival.
2 – O poema não não deverá exceder os 3 minutos
3 – Cinco elementos do juri serão escolhidos aleatoriamente a partir da audiência que darão classificações de 0 a 10. A classificação mais alta e a mais baixa serão eliminadas e a pontuação de cada poema será de 0 a 30.
4 – No final será entregue um prémio simbólico ao poeta vencedor.

Aceitam-se inscrições para a morada info@tantomar.de até ao dia 16 de Novembro de 2017. Para a inscrição pedimos que indiquem o nome, o email e o número de telefone.

Publicado em Festival, Língua Marcados com:

Quando se plaina caem lascas

Fundo de Guitarra PortuguesaExpressões idiomáticas são pedaços de filosofia condensada, cujas metáforas nos ajudam a lidar com situações difíceis, quotidianas, ou fazer rir.

“Wo gehobelt wird, fallen Späne” é uma expressão idiomática alemã que literalmente quer dizer “No sítio onde se plaina caem lascas”. Esta expressão quer dizer que cada ação tem as suas consequências e a expressão correspondente em português seria “Não se faz omelete sem quebrar os ovos”.

Na página em alemão encontrará uma expressão brasileira nao relacionada traduzida para alemão.

 

Publicado em Língua Marcados com:

Interpretações

O comentarista Arnaldo Jabor discursando sobre o Brasil atual.

Nesse âmbito, ele cita versos de três canções de uma das vozes mais poéticas, surgidas do feliz casamento entre o rock nacional e a MPB: Agenor de Miranda Araújo Neto (1958-1990), chamado de Cazuza.

Para ouvir e interpretar.

http://g1.globo.com/jornal-da-globo/videos/t/edicoes/v/estamos-vivendo-uma-crise-de-interpretacoes-analisa-arnaldo-jabor/5969964/

Publicado em Uncategorized

Nuno Sampaio Pereira

Nuno Sampaio Pereira

Nuno Sampaio Pereira

O concerto de Sábado será um momento em que a música erudita entra no mar da língua portuguesa. O som intimista do piano solo preencherá a Aula Magna da Universidade de Colónia nas mãos do pianista Nuno Sampaio Pereira.
Pianista português e aluno de Maria João Pires, Nuno Sampaio Pereira iniciou os seus estudos no Conservatório Nacional de Música com António Toscano e Anne Kaasa. Participou em master-classes com os pianisas Tania Achot, Edson Elias e Vladimir Viardo. Em Belgais, estudou com Maria João Pires e Caio Pagano. Diplomou-se pela Escola Superior de Artes de Castelo Branco sob a orientação de Caio Pagano. Na Alemanha, concluiu o mestrado em interpertação de musica contemporânea pela Hochschule für Musik und Tanz de Colónia e realiza atualmente o doutoramento na Universidade de Aveiro.

Exímio interprete do piano, Nuno Pereira é um músico que dá vida ao repertório contemporâneo, tocando frequentemente em formações de câmara e usando meios electrónicos. A paleta de sons das suas obras é diversificada e espera-se um grande concerto de inauguração do Festival Tanto Mar.

 

Publicado em Festival, Música Marcados com: